Abenc-BA promove workshop sobre o mercado de atuação do engenheiro civil

0
327

Mais de 150 pessoas participaram do I Workshop de Engenharia Civil, promovido pela Associação Brasileira de Engenheiros Civis – Departamento da Bahia (Abenc-BA), em parceria com a Universidade Católica do Salvador (Ucsal), realizado no dia 2 de junho, no auditório do Campus Pituaçu.

 

A atuação do engenheiro civil dentro e fora da universidade centralizou os debates do encontro, que contou com a presidente da Abenc-BA, engenheira Rute Carvalhal Borges, o coordenador do Curso de Engenharia Civil da Ucsal, engenheiro civil e professor Antônio Sérgio Ramos da Silva, além de diversos especialistas, como os engenheiros Enéas Cardoso e Alessandro José Macedo Machado, e a arquiteta Maria Emília Cavalcante, que debateram sobre  “O engenheiro civil e a vida prática”, “Planejamento cadastral multifinalitário de infraestruturas” e “O Crea-BA e ética profissional”.  

 

Durante as discussões, a presidente da Abenc-BA tirou as dúvidas dos estudantes, que questionavam sobre o não cumprimento do Salário Mínimo Profissional (SMP). “A Lei 4.950-A/66 não respalda o profissional que trabalha na área pública quanto ao piso salarial. Chega a ser imoral quando vimos a publicações de editais de concurso sem a garantia do SMP.

 

Enquanto entidade representativa de milhares de profissionais, temos que lutar diariamente pelo cumprimento da lei e exigir o salário base dos engenheiros”, explica Rute Carvalhal.

 

A atividade da engenharia na prática foi amplamente comentada pelo engenheiro Eneas Cardoso, e ganhou olhares atentos dos estudantes. “Só se aprende na prática. É importante participar de estágios variados, enquanto estudante. O que vai diferenciar o profissional no mercado de trabalho é a sua base de formação. Não precisa ter pressa para formar. É necessário aproveitar ao máximo o conhecimento que se adquire na faculdade, o que inclui um bom português e o uso correto dos programas de desenho. Valerá para toda a vida”, aconselha Enéas.

 

Para o professor Luiz Carlos Almeida de Andrade Fontes, vice-coordenador do curso de Engenharia da Ucsal, o bom profissional nunca deveria deixar de estudar. “O aprimoramento é diário. Neste evento temos vários exemplos positivos de estudantes da Universidade que hoje nos orgulham e lutam por uma sociedade melhor, com muita qualificação e competência”, defendeu Fontes, ao citar nomes como Rute Carvalhal, Alessandro Machado e Aldiza Oliveira, todos egressos da Ucsal.

 

O conselheiro do Confea, Alessandro Machado, aproveitou a oportunidade para falar sobre o pré-projeto do aplicativo para dispositivos móveis, numa parceria Mútua e entidades do Sistema Confea/Crea para valorização da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). A abordagem do engenheiro demonstrou que há um campo de atuação que precisa ser apropriado pelos profissionais engenheiros civis em prol do desenvolvimento sustentável das cidades.

 

O workshop marcou o início das comemorações pelos 30 anos da Abenc-BA que, dentre outras ações previstas, pactuou com a Ucsal, a assinatura do convênio de parceria entre as duas instituições, com a proposta de promover diversas atividades semestrais em benefício dos estudantes de engenharia civil, a exemplo de cursos e palestras sobre a atuação do mercado de trabalho, e ética profissional. “Essa parceria vai permitir aos alunos um esclarecimento maior da profissão que vão exercer, tanto de forma teórica, quanto prática”, defende o coordenador Antônio Sergio Ramos da Silva. “Essa experiência com profissionais que estão no mercado há anos, além de dirigentes de entidades foi de extrema importância. Saber que o profissional necessita preencher a ART para realizar uma atividade, como está o mercado de trabalho e qual o papel do Crea vai me ajudar muito no curso e lá fora”, pontou o estudante Kaíque Alexandre, do 6º semestre de Engenharia Civil.

 

O registro do evento, que contou com a distribuição de publicações do Crea-BA, pode ser acessado do site www.abenc-ba.org.br

COMPARTILHAR