ABENC-BA

A Associação Brasileira de Engenheiros Civis – Departamento da Bahia (ABENC-BA) é uma entidade de utilidade pública de acordo com a Lei Municipal nº 3.928/1988 publicada no jornal A TARDE de 12/10/1988, sem fins econômicos, que congrega associativamente os engenheiros civis domiciliados no Estado da Bahia e integra-se desde a sua criação à ABENC/Nacional.

Foi fundada no dia 18 de agosto de1986. Na época, o saudoso Engº. Civil Anito Zeno Petri – Vice Presidente do CONFEA, veio à Bahia para dar posse à primeira Diretoria e Conselho Deliberativo com a presença de 88 (oitenta e oito) associados fundadores e de proeminentes autoridades como o Deputado Federal Vasco Azevedo Neto, o Diretor da EPUFBA Prof. Cide Gesteira, o presidente do Núcleo do CNPQ na Bahia, Dr. Hernani Sávio Sobral entre outros…

Uma das atividades da ABENC/BA é a promoção de eventos da Engenharia Civil e entre os diversos promovidos diretamente citamos:

Tendo, também, como meta a inserção social e visibilidade profissional do engenheiro civil, a ABENC-BA tem promovido debates, simpósios e palestras, tais como a palestra do Eng° Civil Manoel Bomfim sobre a inadequação do projeto de transposição do Rio São Francisco e a Palestra sobre Manutenção Predial, assunto da maior importância técnico/social e de oportunidade de trabalho para os profissionais; prestado homenagens públicas a colegas que dignificaram a nossa profissão e se mantido presente em jornais de grande circulação com a publicação de matérias do interesse da sociedade como as “barracas de praia”.

Com relação às barracas de praia da Orla de Salvador a ABENC-BA foi a única entidade que, além de participar do debate, produziu uma proposta concreta, tendo elaborado um anteprojeto o qual foi encaminhado à Prefeitura de Salvador, ao Juiz Federal que julga a questão, ao Ministério Público e ao Patrimônio da União, além de ter promovido um encontro com os barraqueiros, sendo que até o momento este projeto é considerado como a única alternativa concreta para solucionar o problema da ocupação.

Na área editorial técnica e de valorização profissional a ABENC-BA produz e distribui o Informativo Técnico (já na 5ª edição) o qual é enviado tanto para os associados e para todos os demais engenheiros civis da Bahia, como para as entidades sinérgicas, para as escolas de Engenharia Civil da Bahia e para as lideranças desses profissionais em todo o país.

Essa associação promoveu vários cursos técnicos e de requalificação dos engenheiros civis, cursos estes de alto nível de qualidade e de baixo custo, vez que não visam lucros, tendo como destaque o curso de “Atualização em Engenharia Rodoviária”, realizado por esta associação com 292 hora-aula no período de fevereiro a novembro de 1989, através de convênio celebrado entre a ABENC-BA, o CRIBA e a FUNDESP, beneficiando os profissionais e os setores estaduais que utilizavam a Engenharia Civil.

Mais recentemente, os curso de “Engenharia de Avaliações de Imóveis Urbanos” com utilização de metodologia científica e aplicação das normas da ABNT, tendo sido realizadas duas turmas de formação e uma de aprofundamento.

Sendo a única entidade no estado da Bahia que congrega exclusivamente engenheiros civis, a ABENC-BA tem como meta a valorização destes profissionais, promovendo sua integração e a defesa de seus direitos e da Engenharia Civil como um todo, lutando pela manutenção das suas atribuições, alertando-os para ocuparem os espaços relacionados com sua modalidade profissional, defendendo a sociedade da atuação de leigos e de profissionais não qualificados para esta atividade.

Institucionalmente se faz presente através de participação ativa no CREA/BA, através de seus Conselheiros, tendo os mesmos ocupado por diversas vezes e ocupando atualmente o cargo de Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia Civil.

No âmbito Federal a ABENC-BA já participou em diversas oportunidades e participa da Coordenação das Câmaras Especializadas de Engenharia Civil do CONFEA, onde atua de forma intransigente na defesa das atribuições dos engenheiros civis, denunciando e lutando contra as restrições que gradativamente tentam impor, sempre entendendo que as áreas de sombreamento legal de atribuições de diferentes modalidades profissionais permitem uma maior competitividade, sendo benéfica para a sociedade e que as restrições destas atribuições, com a criação de reserva de mercado para determinadas modalidades, prejudica a sociedade e só traz benefício para os detentores da exclusividade.

Texto original do Engº Civil Raimundo Pereira Borges, Vice-Presidente da ABENC / Nacional e ABENC-BA. Revisado na forma atual pelo Eng° Civil Enéas Cardoso de Almeida Filho, Presidente da ABENC-BA.